Eu sempre fui um “auto-abortista”, aquela pessoa que vive iniciando projetos novos, cheio de grandes ideias, mas que – por alguma razão que nem a própria pessoa entende – sempre (ou quase) desiste da ação bem no meio do caminho.

São muitos exemplos: livros (lidos e escritos), cursos, empregos, exercícios físicos, relacionamentos, estudos, produtos, músicas… enfim. Tenho o iníco de lindas histórias e pensamentos muito interessantes. Todas abortadas. Um final mais triste do que os próprios finais tristes.

Felizmente, as coisas começaram a mudar (um pouco) nos últimos anos. Tomei coragem de sair do meu emprego assalariado e abri o meu próprio negócio. Foi tudo do zero, quase sem dinheiro e com muita criatividade. Na marra, enfim, não tive escolha além de executar as ideias malucas que vinham na minha cabeça.

E a empreitada deu certo. Fluiu muito bem e aí eu conheci um sentimento mágico de dever cumprido, de “coisas acontecendo”, de ideias de fato nascidas (e que não existem apenas no papel).

Lembra daquela cena do clássico da Disney “A Bela e a Fera“, em que o Lumiere (castiçal), a Madame Samovar (bule) e o Orloche (relógio) cantam “estamos vendo alguma coisa acontecer“? Então, era como se eu estivesse ouvindo eles falando isso o tempo todo.

SÓ QUE eu tenho muitos projetos. 

São muitas ideias meio malucas (a.k.a. “fora da caixa”) que eu gostaria de tirar do papel.

E, mais ainda: há muita vontade de provar de novo esse sentimento de “coisas acontecendo” e “dever cumprido”.

O “problema” é: eu não estou mais com a corda no pescoço. E é justamente assim que volta a aparecer aquele modo “auto-abortista”.

Pois bem. Dessa vez eu vou repelir esse sentimento.

""

Inspirado pela ideia de Hacks, tirada do livro Hackeando Tudo, do Raiam Santos, e do conceito de “circuitos abertos”, do livro A Arte de Fazer Acontecer, de David Allen, eu resolvi montar este blog para ser as hastes de apoio da minha nova fase, longe do auto-abortismo.

Este blog vai ser o meu QG aberto para buscar inspiração, buscar criatividade, compartilhar conhecimento, escrever sobre experiências, falar sobre abobrinhas, opiniões, livros, dicas, desabafos e o que for conveniente pro momento.

""

Dentre os projetos, planejo, só esse ano: [1] lançar um livro; [2] criar um curso baseado no mesmo livro; [3] virar “fitness” (e perder a barriga), [4] construir bons hábitos diários (sim, total influência do livro O Poder do Hábito, de Charles Duhigg; [5] ler ao menos 50 livros no ano; e, pra fechar, [6] compor um album com pelo menos seis músicas e lançá-lo nas plataformas de streaming (Spotify, Deezer e Youtube). 

Espero que tudo isso dê certo até o fim do ano (hoje é dia 12 de janeiro de 2019).

Espero também que essa empreitada resulte em bons conteúdos para cá.

E espero que este blog seja também pra você, leitor desconhecido, uma inspiração para crescer e tirar as suas ideias do papel.

Obrigado por chegar até aqui!

Quero todo mundo ouvindo a voz da Madame Samovar cantando “estamos vendo alguma coisa acontecer“.

Grande abraço!

Dois Minutos De Prosa